17.4.13

Odisseia revisitada

Lembra-me o Ulisses de Ortega y Gasset pugnando pelo aborrecimento da sua Penélope. (Para o filósofo, o artista moderno devia ser o contrário de Ulisses, não se deixando domesticar por Penélope.) O que o homem não faz por uma mulher. Há outras questões: não desejamos realmente o que pensamos que desejamos. Talvez certo moralismo, talvez: o homem que é punido por voyeurismo, por desejar outra mulher. Por fim, o jogo de espelhos em que refazemos o que (julgamos que) somos, procurando com mais ou menos sucesso alterar o passado, se aprendermos com ele.




Sem comentários:

Enviar um comentário