17.1.17

Pasolini, alguns versos

(...)

Magnífica e mísera cidade,
que me ensinaste o que os homens,
alegres e ferozes, aprendem em crianças,

as pequenas coisas em que a grandeza calma
da vida se descobre, como, por exemplo,
andar, duro e lesto, entre a multidão

das ruas, dirigir-se a outro homem
sem tremer, não ter vergonha
de verificar o dinheiro contado

com dedos lentos pelo empregado
que foge, suando, rente às fachadas
numa cor eterna de Verão;

defender-me, atacar, ter
o mundo diante dos olhos e não
apenas no coração, compreender

que poucos conhecem as paixões
em que vivi:
que, não sendo meus irmãos, são, porém,

meus irmãos, porque sentem, justamente,
paixões de homens
que, alegres, inconscientes, inteiros,

vivem de experiências
que nunca vivi.

(...)

Pier Paolo Pasolini, "O pranto da escavadora"



Sem comentários:

Enviar um comentário