1.1.13

Uma forma que apazigúe


Esta música parece dizer da melancolia do fim de qualquer coisa. As coisas seguiram um caminho, um dentre os vários que a vida havia tornado possíveis. Diz algo do que se vai esboroando; mas também do que aí vem, enuncia a possibilidade de um fim que não é derradeiro. Pressente um futuro, que se desconhece, que é absolutamente absoluto, incognoscível. O futuro é o Outro, como afirmou Lévinas, o que nos é radicalmente inacessível, em boa medida a nós não se ajusta, e, por conseguinte, não raro nos sentimos despreparados para a vinda dele. E é ao pressenti-lo que iremos tremer, pois dele não possuímos a forma que apazigúe. Isto apesar de já acostumados ao quão informe o mundo realmente pode ser, facto que somente poderá atenuar aquele tremor. Talvez isto mesmo James Blackshaw tenha intuído bastante cedo, quando, aos treze anos, decidiu vaguear pela Europa, acompanhado por uma guitarra de doze cordas.




Sem comentários:

Enviar um comentário